Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de março de 2016

P. SISTO CARTECHINI: DA OPINIÃO AO DOGMA - PREFÁCIO E QUADRO DE NOTAS TEOLÓGICAS

DA OPINIÃO AO DOGMA
PREFÁCIO

Padre Sisto Cartechini, S.J.
[Tradução: Gederson Falcometa]

Se em toda ciência, mais que a quantidade e a qualidade das noções esparsas, é útil bem conhecer o grau de certeza dos seus pressupostos e dos seus princípios, e a ordem das suas deduções, isto vale especialmente no campo da fé e na ciência teológica. Daqui a necessidade do estudo ordenado dos dados revelados, o qual, se em qualquer medida é requerido a todos os crentes para oferecer a Deus um ato de culto racional (Rm 12, 1), e também aos crentes para se explicar aos não crentes a racionalidade do quanto crEem, maior razão se adiciona a quantos buscam o pleno possesso dos dados revelados para se render conta que a nossa fé exclui toda dúvida, e é luminosa e certa não menos que os axiomas e as categorias matemáticas.

O dúplice fim que me prefixei no presente trabalho foi fornecer precisamente aos estudiosos da fé católica os critérios necessários para dar um exato juízo sobre certeza da verdade revelada, e expor juntamente os métodos de coliga-los em um sistema científico. Então, em uma primeira parte me propus determinar o significado preciso das várias qualificações teológicas com as quais no ensinamento se costuma exprimir o grau de certeza entorno a uma proposição que pertença a fé ou a teologia; e isto fazendo, entendi colocar uma mão amiga a quantos, especialmente os leigos pouco adentrados nas ciências sacras, mas também a clérigos talvez desorientados por muitas flutuantes e discordantes definições de termos e de conceitos, não vissem com clareza os contornos precisos ao alcance das qualificações: dogma, fé definida, fé divina, fé divina e católica, fé católica, doutrina católica, certo em teologia, sentença comum, sentença provável…; e das censuras a essas contrapostas: heresia, erro, próximo ao erro, temerário… Depois na segunda parte entendi mostrar em quantos modos as várias proposições da fé e da teologia podem entre elas se conectar e por quantas vias de uma verdade revelada se lhe podem explicitar pelas outras, novas somente quanto a sua formulação mais precisa.

Não pretendo já no meu modesto trabalho dizer alguma coisa de novo ou melhor, além daquilo que disseram os grandes teólogos antigos e modernos, sobre uma matéria tão complexa. Quanto há nisso existe de verdadeiro o extrai de ótimos autores, muitos dos quais citados na bibliografia; aquilo que tem de novo é apenas a ordem, a síntese, a confirmação dos documentos, a aplicação com vários exemplos; para que os sacerdotes e quantos também do culto laicato se interessam pelas ciências sacras, possam por si mesmos fazer um juízo exato sobre o grau de certeza entorno a uma proposição que venha a eles proposta, ou extrai-lo dos textos de teologia, ou ao menos render-se conta das dificuldades do problema e julgar com uma certa cognição de causa sobre um argumento totalmente diverso do fácil.

É meu dever de gratidão agradecer a todos que me ajudaram na obra, ou me encorajando a empreendê-la, ou dando me sugestões para a execução, ou revendo e adaptando o texto a leitores fora da escola. Que o Senhor lhes recompense.

  1. P. Sisto Cartechini I.
Roma, 15 agosto 1953.

 

 

E S Q U E M A  D A S  N O T A S  T E O L Ó G I C A S

 

(*) Uma nota superior contém em si aquela inferior e o seu valor decresce descendo a escala. É possível a passagem de uma nota inferior a uma superior e todas tem relação com a primeira, o dogma.

(**) O dogma não pode descer a uma nota inferior. As notas do dogma, aquelas de fé divina, formam o campo da fé; do dogma até a nota teologicamente certa temos o campo da infalibilidade (para alguns até a nota comum é certo); o campo da teologia abraça todas as notas do dogma até ao provável.

(***) As censuras das proposições opostas e contrárias as últimas duas notas costumam ser estas: capcioso, que soa mal, ofensiva aos ouvidos pios dos fiéis, escandalosa (D. 1541). Tais censuras se deduzem de outras fontes e recorrem muitas vezes em teologia moral, enquanto as proposições qualificadas podem ser ocasião de escândalo, soar mal, etc.

Clique na imagem para ver na tela inteira

Notas teológicas marca d'agua

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

D. CURZIO NITOGLIA: CASTIGAT RIDENDO MORES

PÉROLAS AGOSTINIANAS D. CURZIO NITOGLIA Tradução de Gederson Falcometa Castigat ridendo mores Santo Agostinho no seu Comentário a primeira E...